Milgram, Stanley - Obediência à Autoridade

O livro disseca as formas e os motivos para a obediência e denuncia como a sociedade tem feito muita merda devido ao ensino ostensivo da obediência cega como modo de socialização.
Mime pdf
98 MB, Portable Document Format (.pdf)
Preview: small
Updated by lulhu 2017-05-17
 

Tri! Já viram o filme The Experimenter, que conta a história do Milgram?

 
 

Sim.
Foi por onde descobri esse cara.

 
 

Lembro-me que Zygmunt Bauman dedica todo um capítulo de Modernidade e Holocausto (“A ética da obediência (lendo Milgram)”) a uma reavaliação sociológica da importância e das implicações dos experimentos de Milgram e mostra de que forma suas descobertas ajudam a compreender como foi possível ao regime nazista inculcar nos membros de seu aparato burocrático a racionalidade instrumental, a distância social e a indiferença moral necessárias para transformá-los em executores do Holocausto, de modo a encararem as atividades ligadas ao extermínio dos judeus como tarefas puramente técnicas, qualitativamente indistinguíveis de qualquer outra atividade burocrática.

 
   

Quando li o livro de Milgram, o que mais me fascinava negativamente era ver como constantemente pessoas comuns viram instrumento de uma autoridade e o tempo todo me vinha a seguinte questão: “se todo mundo é criado num mundo de obediência (os progenitores são os mais importantes formadores de obedientes), então anarquistas, por mais que tenham vontade, também estão sujeitos a esses mecanismos, seja através de uma liderança (autoridade) informal, seja em nome de um princípio abstrato (justiça)”.

O troço não tá só no holocausto ou no exército, tá no dia a dia e é muito fácil ver isso acontecer com pais, burocratas, e mesmo entre amigos.

Minha esperança na humanidade diminuiu mais ainda depois desse livro.